compartilhe

0

Saúde

Ansiedade: aprenda a evitar

Por
Redação
ansiedade

Foto: Thinkstock.

A preparação para uma prova costuma durar meses, com muitos treinos e dedicação do atleta para que chegue no dia “D” pronto para se superar. Porém, o fator psicológico pode pesar e atrapalhar o corredor. “A ansiedade é, provavelmente, o principal motivo que leva os atletas a buscarem o auxílio de um psicólogo esportivo”, afirma Maurício Pinto Marques, mestre e doutorando em psicologia do esporte pela Universidade Autônoma de Barcelona, na Espanha.

De acordo com o especialista, “é necessário encarar a ansiedade como uma reação normal do organismo, um sinal de alerta de que algo importante vai acontecer”. O sistema nervoso autônomo é o responsável por causar esse sintoma. “Por causa dele [sistema nervoso autônomo], temos a sensação de que algo diferente está para acontecer. A mensagem que ele transmite é a de necessidade de fugir ou lutar.” Isso faz com que aumente a pressão arterial, o fluxo respiratório e a irrigação de sangue para as pernas.

Em um nível pequeno, a ansiedade pode ser boa para os corredores. “Nos deixa ‘ligados’ ou, como chamamos na psicologia do esporte, ‘ativados’”, comenta Marques. É uma motivação para competir, segundo o psicólogo. “O problema é quando essa ativação é tão alta que ‘engessa’ a atividade física, prejudica a performance, nubla os pensamentos e acelera demais os batimentos cardíacos.”

Antes ou durante uma prova – principalmente as mais longas –, essa ansiedade excessiva pode fazer com que o atleta perca a concentração e não consiga desempenhar o exercício como gostaria. Há casos, inclusive, que a pessoa não consegue, se quer, cruzar a linha de chegada.

Como prevenir?
“Uma técnica simples e muito utilizada pelos atletas quando percebem esse estado adverso de ansiedade é a autorregulação por meio da respiração”, explica Marques. “É recomendado que o corredor inspire em um tempo e expire em dois, por alguns minutos.”

Outra medida importante é acalmar o pensamento. “Conversar com outra pessoa e até escrever sobre o que sente, de forma livre, pode ajudar a descarregar essa ansiedade”, sugere.

Manter a rotina o mais “normal” possível no dia que antecede a competição também pode ajudar. “Não invente de se alimentar com algo que não esteja acostumado na noite anterior ou no café da manhã do dia da corrida.” Além disso, “evite experimentar novos equipamentos, como tênis ou roupas, na corrida”. Qualquer incômodo que sentir, poderá aumentar ainda mais a ansiedade.

O psicólogo dá mais uma dica. “Procure conhecer o percurso ou visitar antes da prova para ter uma noção do trajeto.” Dessa forma, evitará qualquer tipo de surpresa ao longo do caminho.