compartilhe

0

Colunistas

A importância dos regenerativos para o desempenho

Além de um bom descanso, apostar nos treinos leves é essencial para evoluir no esporte

Fábio CintraPor
Fábio Cintra

Em um dia de treino regenerativo, quem nunca pensou assim: “Ah, estou me sentindo bem, vou correr só mais um pouquinho ou aumentar o ritmo”, e acabou correndo muito mais do que estava programado? Ou, em um dia de descanso, não se aguentou em casa e saiu para rodar só alguns quilômetros?

Mas nem sempre a regra do “quanto mais melhor” é verdadeira. Vamos entender por que essa prática pode ser mais prejudicial do que benéfica para o desempenho esportivo.

Dentro de um programa de treinamento que visa melhorar o desempenho, o descanso e os exercícios regenerativos são tão importantes quanto os treinos longos, de tiro, de ritmo etc. Se não dermos ao nosso organismo tempo suficiente para se recuperar, ao invés de melhorar, teremos uma queda gradual da performance, podendo até sofrer com lesões.

Você pode estar se perguntando: mas o que acontece em nosso organismo durante os períodos de descanso e treinos regenerativos? É exatamente em momentos como esses que o nosso organismo absorve os ganhos dos últimos treinos, além de se recuperar e fortalecer para os próximos treinos intensos que virão.

Dentro de todos os processos que acontecem, temos o reparo das microlesões decorrentes da atividade física intensa, fortalecendo, assim, a musculatura; a “limpeza” do organismo, com a remoção de metabólitos acumulados, como lactato, íons de hidrogênio e outros; e a reposição dos substratos energéticos, como o glicogênio muscular, fonte de energia fundamental para contração muscular.

Em resumo, quando não descansamos ou não temos o hábito realizar treinos regenerativos, não damos tempo para que esses processos aconteçam como deveriam, acumulando, assim, as sobrecargas de vários treinos, o que pode gerar sensação de fadiga crônica, diminuição do desempenho, perda de força e resistência, estresse físico e mental, desmotivação, mudança de humor, queda da resistência imunológica, entre outras coisas.

Por fim, o sono é outra etapa importante dentro da recuperação. A privação do repouso adequado pode levar a uma diminuição da capacidade aeróbia, além de desregular os níveis hormonais, com o aumento do cortisol (hormônio do estresse) e a diminuição do hormônio do crescimento (GH), que é ativo durante a recuperação do tecido muscular.

Quer melhorar ainda mais o seu desempenho esportivo? Então comece a respeitar e dar mais atenção aos descansos e aos treinos regenerativos, assim como à qualidade e quantidade de sono. Dessa forma, você poderá ultrapassar suas próprias expectativas e alcançar desafios cada vez maiores.

Bons treinos