compartilhe

0

0

Colunistas

O tabu das assaduras

Veja dicas para evitar o problema durante a corrida

Erico AiresPor
Erico Aires

Correr causa assaduras

Alerta de drama: este texto contém altas doses do mais genuíno sofrimento masculino.

Logo que comecei a treinar, tive de encarar um problema comum para inúmeros corredores: minhas cuecas pareciam não curtir muito a nova modalidade esportiva que eu estava iniciando. Elas comiam a parte interna das coxas, assavam tudo mesmo, e eu sofria muito. Como se já não bastasse estar no meu limite devido ao processo de adaptação à nova atividade, passando maus bocados com dores em músculos que não eram acostumados a correr, eu ainda tinha que aturar aquelas feridas nas pernas!

Recorri ao famoso tio Jackson (veja post anterior) para saber o que fazer. Mas ele é “perna fina” e não tinha ideia do que eu estava dizendo. Então, nos treinos da assessoria esportiva Corredores da Zona Norte, fui perguntando timidamente para um, para o outro: “Vocês correm de cueca?”, “Que tipo de cueca vocês usam?”. Mal sabia eu que o assunto é tabu. Aparentemente, ninguém gosta de dizer: “Cara, se suas coxas tocam uma na outra, não tem jeito, pode correr pelado que vai assar!”. E, assim, segui terminando meus treinos as pernas vermelhas.

A coisa só mudou quando cheguei a meu limite. Foi num banho que tomei depois de um treino de 17 km, num belo dia ensolarado na USP. O problema dessa vez não foram as pernas, mas os mamilos! Fui treinar com uma camiseta bem leve, cheia de furinhos, para aliviar o calor que fazia. O tecido literalmente comeu meus peitos. Quando entrei debaixo do chuveiro e a água bateu no peito, a dor excruciante deixou claro que precisava encontrar ajuda.

Por casualidade da vida, o socorro caiu no meu colo. Estava lendo o livro Correr – O Exercício, a Cidade e o Desafio da Maratona (Companhia das Letras, 216 págs.), de Dr. Drauzio Varella, e encontrei a dica que precisava: usar esparadrapos, roupas especiais e lubrificantes para atenuar o atrito que causa assaduras.

Anote aí algumas dicas que reuni:

  • Abuse de cuecas boxe de material sintético (como lycra). Evite o algodão, pois o tecido absorve muito o suor e a umidade contribui com problemas na pele.
  • Se você não quiser usar cueca boxe, for mulher ou correr só com a cueca do calção, invista em um coxal de neoprene ou uma bermuda de compressão (também chamadas de térmicas e muito usadas por jogadores de futebol).
  • Se tiver pelos, eles irão enrolar inevitavelmente nas roupas íntimas! Depile.
  • Lubrifique as partes que costumam assar. Existem diversos produtos feitos para isso no mercado. Acho os a base de silicone ótimos, pois não mancham as roupas e não deixam nada melecado. O problema é que não são baratos. Particularmente, não gosto de vaselina por esquentar a pele. Eu sempre uso lubrificantes nos mamilos, nas coxas e nos dedos dos pés, onde também tenho muitas bolhas de atrito.
  • Se seus mamilos forem muito sensíveis, lance mão do uso de esparadrapo para cobri-los e evitar a fricção com o tecido.

Finalmente, minha dica mais importante. Teste tudo antes da prova: o shorts, a camiseta, a cueca/calcinha, o tênis, a meia, o cinto de utilidades, o protetor solar, a viseira, o fone de ouvido e até o alfinete do número de peito. Parece uma bobeira, mas já passei pela raiva de correr 15 km lidando com o protetor solar que escorria nos olho e ardia. Os treinos são ótimos para ajustar tudo para o grande dia da corrida.