compartilhe

0

0

Medicina esportiva

Livre-se das bolhas!

Veja dicas para lidar com o problema e saiba como evitá-lo

RedaçãoPor
Redação

Vilãs da corrida, por menores que sejam, as bolhas nos pés podem arrasar uma prova, atrapalhar a quebra de um recorde e destruir um treino, principalmente quando você está calçando aquele tênis novinho que acabou de chegar da loja. Mas nada de pânico. Algumas medidas simples podem ajudá-lo a prevenir e combater esse incômodo.

Primeiro é preciso entender o que provoca essas pequenas lesões na pele. A dermatologista Luciana Cattini, de São Paulo, explica: “As bolhas se formam pelo descolamento da pele ocasionado por atrito constante dos pés com a meia, com o tênis apertado ou muito folgado, e por atrito dos pés descalços com o solo. A fricção por tempo prolongado é a causa principal desta injúria que acomete quase 90% dos corredores”.

Bolhas nos pés: como tratar

Caso haja a formação de bolha após a corrida, a dermatologista orienta a drenagem do líquido interno por meio da abertura de um pequeno orifício na base da bolha, que deve ser feita com uma agulha esterilizada. “Caso este líquido esteja avermelhado, provavelmente houve um pequeno sangramento na sua formação. Neste caso, o cuidado deve ser redobrado para que não haja infecção bacteriana no local”. Outra recomendação importante é nunca retirar o teto da bolha, pois ele age como um curativo biológico.

MAIS
Como evitar assaduras na corrida?
Vale a pena suplementar com creatina?

Depois disso, o ideal seria evitar novos traumas no local por pelos menos sete dias, tempo médio necessário para a recuperação da pele. Mas se treinos não puderem esperar, há como minimizar o prejuízo e aliviar a dor. “Caso o atleta não possa interromper as atividades, deve realizar curativos com vaselina e esparadrapo hipoalergênico para diminuir o atrito durante as corridas”, ensina Luciana.

Prevenção

O corredor precisa dar uma atenção especial com pés antes, durante e depois das corridas. “O segredo é manter a pele sempre hidratada e livre de infecções fúngicas e bacterianas, que fragilizam ainda mais a região. Use tênis confortáveis e meias que absorvam melhor o suor e reduzam a friccção. Após as corridas, tire imediatamente as meias para reduzir a umidade local e o atrito, higienize os pés durante o banho com sabonete neutro e hidrate a pele com cremes à base de ureia.”

*Originalmente publicada em 17 de julho de 2013