compartilhe

0

0

Medicina esportiva

A importância do teste de pisada para o corredor

Especialistas falam sobre a sua influência na performance

Lucas ImbimboPor
Lucas Imbimbo

importância do teste de pisada

Uma dúvida recorrente entre os corredores é se o tipo de pisada influencia ou não na performance. A resposta é que sim. Mas somente saber a pisada não é garantia de melhora no desempenho.

“O toque ao solo, a postura e o fortalecimento do músculos são variáveis mais importantes e que podem ajudar a melhorar a biomecânica da corrida – além de deixar o atleta longe de dores”, explica Marcos Henrique Ferreira Laraya, especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e Diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

Um ponto de destaque é que descobrir a sua pisada pode ajudar na prevenção de lesões. Entretanto, de acordo com Laraya, existem fatores mais importantes para os quais o corredor deve dar atenção.

MAIS
Entenda como prevenir e tratar a fascite plantar
Alongar previne lesões?

Ele indica, por exemplo, que o atleta não inicie a pisada apenas com o calcanhar, pois isso aumenta o risco de lesão devido ao impacto nas articulações. O recomendado é apoiar o pé suavemente no solo – “correr sem fazer barulho”. Exercícios como o de encolher os dedos do pé para dentro e/ou caminhar descalço na areia são ótimos para fortalecer os chamados músculos intrínsecos – os músculos do pé.

Palmilhas especiais

O teste de pisada também serve para a confecção de palmilhas específicas para o corredor. “Depois que o atleta garante sua palmilha, ele pode comprar qualquer tênis de corrida”, afirma Alessandra Masi, Ortopedista e Traumatologista do Esporte.

No início do uso, é normal sentir dores nos pés, pois a palmilha acaba por fazer um trabalho de correção. Por isso, a especialista recomenda usar dois tipos de palmilha nesse período de adaptação: uma corretiva e outra para correr.

O indicado é sempre fazer avaliações clínicas antes de começar a fazer exercícios. Assim você avalia as suas condições e possui uma orientação para não ter lesões.

Tipos de pisada

Pronada

Essa é a pisada em que o atleta toca o solo com a borda interna do pé. Para pronadores, porém, vale atenção maior com as lesões no joelho. “Isso pode ocorrer devido ao valgo dinâmico, que é o movimento causado nos joelhos na hora do impacto”, explica Laraya.

Supinada

Neste tipo de pisada o toque ao solo ocorre na lateral externa do pé. Nela, o valgo dinâmico é menor, mas o há mais chances de torções.

Neutra

A pisada neutra é o contato total da planta do pé com o solo. Ela é a mais estável das três e com menores riscos de lesões.

Teste de pisada

Teste de pisada realizado em clínicas ortopédicas

Existem alguns tipos diferentes de testes de pisada. “Os feitos em loja, por exemplo, são mais superficiais. Eu não recomendo”, afirma Alessandra. O melhor e mais completo é a baropodometria, realizada em clínicas e por ortopedistas. Nela, é possível ver não somente o tipo de pisada, como também o porquê de cada pisada e analisar possíveis disfunções no corpo do atleta (que podem gerar lesões).

Geralmente os testes em clínicas são feitos em tapetes tecnológicos que mapeiam o pé do atleta ou em esteiras – com ajuda de câmeras e outros acessórios. Existem também os testes mais simples, em que o corredor pinta ou molha o pé e pisa sob uma superfície, marcando a forma da pisada.