compartilhe

0

0

Medicina esportiva

Crioterapia ou termoterapia, qual escolher?

Conheça as técnicas de gelo e de calor que podem ser usadas após os treinos e provas

Por
Redação

A crioterapia é o nome dado à aplicação do gelo no corpo, que serve para aumentar a pressão nos vasos e da circulação do oxigênio. O processo inverso, à base de calor, é a hipertermoterapia que provoca o aumento da temperatura dos tecidos.

Remédio ideal

Ambos os métodos são eficazes e possuem funções semelhantes para quem corre e exige muito esforço da musculatura. “O frio e o calor aplicados no organismo favorecem a prevenção de sinais e sintomas decorrentes de uma possível inflamação ou lesão, reduzindo edemas e dores, além de relaxar os músculos e aumentar a flexibilidade”, afirma Henrique Berwanger Cabrita, fisioterapeuta do Instituto Vita.

MAIS
Complete a meia-maratona em menos de 2h
Os melhores treinos para ganhar velocidade

Quando e como usar

Os dois métodos terapêuticos podem ser feitos de diversas formas, como bolsa de água quente ou de gelo, compressa com toalha molhada em água fria e imersão em água gelada.

Qualquer uma das sessões deve ser incluída imediatamente após os treinos. “Faça 3 ou 4 sessões por dia de 15 a 20 minutos cada. Fique atento a esse tempo, pois caso a exposição ao gelo seja muito longa, há riscos de lesões, devido a baixa circulação do sangue”, explica Maurício Garcia, fisioterapeuta, coordenador e gestor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

Gelado ou quente?

“De modo geral, o gelo é melhor para ser utilizado após os treinos, pois evita diretamente as lesões, impedindo a liberação de radicais livres que danificam os tecidos musculares”, aconselha Cabrita.
A corredora Patrícia Gomes, secretária, 32, testou e aprovou a eficácia da termoterapia. “Depois que sofri uma lesão durante a corrida, meu médico indicou o uso do gelo após meus treinamentos. Meu rendimento melhorou 100% e me sinto mais segura e aliviada”.

Misture tudo

Caso tenha ocorrido uma lesão ou a região esteja muito inchada, a troca de bolsas quentes e frias é indicada. “Faça a troca de 2 em 2 minutos durante 30 minutos. A série deve ser feita 48 horas após o exercício, de três a seis vezes por dia”, recomenda Cabrita.

Relaxe os pés

O método também pode ser usado para relaxar a musculatura dos pés, fazendo a imersão em uma bacia até o tornozelo. “Inicie essa imersão em água quente (morna) por 2 minutos e, em seguida, deixe durante 30 segundos em uma bacia de água fria, com cubos de gelos soltos”, explica Cabrita.
Maurício complementa: “Faça as sessões 3 vezes ao dia e repita a série 5 vezes, encerrando com 5 minutos de água quente se o caso for crônico ou 5 minutos de água fria, se o caso for agudo no tratamento de lesões ortopédicas”.