compartilhe

0

0

Notícias

Corredor brasileiro trapaceia e é desclassificado em Boston

O participante também usou um tempo irregular para se inscrever na major

Daniel VelosoPor
Daniel Veloso

A Maratona de Boston, uma das mais tradicionais do calendário das corridas de rua, também é conhecida por ter episódios de trapaça em sua história. Um dos casos mais emblemáticos foi o da assistente administrativa Rosie Ruiz, que, em 1980, iniciou a prova no km 35 e chegou ao primeiro lugar – porém foi desmascarada pela organização. Na edição deste ano, realizada na última segunda-feira (15), um corredor brasileiro aumentou a galeria de trapaças da major.

Descoberto pelo site Marathon Investigation, Alexandre Faria passou por apenas dois pontos dos doze pontos de controle da Maratona de Boston.

De acordo com o site, ele teria cruzado a linha de chegada em 3h01min55s, em uma média de 4min20s por km. No entanto, o brasileiro passou pelo km 5 em 34min06s, em um pace de 6min49s. Depois, só teve sua participação registrada no km 40.5, já na reta final da maratona.

Depois de percorrer os últimos 1.695 metros em mais de 11 minutos, Alexandre usou um celular para registrar sua participação na prova, cena que também foi exposta pelo Marathon Investigation.

Derek Murphy, o criador do site, também descobriu que Alexandre falsificou seu tempo de classificação para participar da Maratona de Boston. Ele teria usado sua marca na Maratona de Chicago de 2017 para assegurar sua vaga. No entanto, o registro de 3h14min06s em Chicago só contava com duas passagens por pontos de controle, justamente na parte final da prova.

O caso do brasileiro foi encaminhado para a organização da Maratona de Boston, que o desclassificou da prova.