compartilhe

0

Nutrição

Aposte no ovo para o seu pós-treino

Rico em proteínas, o alimento é uma boa opção para quem procura por ganho de massa muscular

Redação WRunPor
Redação WRun

 

ovo

Para os corredores e frequentadores de academia que têm o intuito de ganhar massa muscular, saber o que ingerir após o treino é fundamental para os ganhos serem positivos. É nesse período que o corpo – e os músculos – “pedem” as famosas proteínas. É o momento certo para a ingestão de ovo, por exemplo.

O ovo possui 7g de proteínas na clara. Além disso, é rico em vitamina A, que tem efeito oxidante e é essencial para a visão, vitamina E, zinco, selênio, magnésio e minerais importantes para o desenvolvimento cerebral e da memória”, explica Moisés Cohen, diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

Para sanar todas as dúvidas de seus leitores, o Sua Corrida entrevistou o especialista e tirou algumas dúvidas sobre o consumo de ovos. Confira:

MAIS
Conheça quatro cartões-postais da SP City Marathon
Planilha: meia-maratona abaixo de 2h

Consumir ovo todos os dias é aconselhável?

Para quem tem o colesterol alterado, o indicado é reduzir o consumo da gema. A clara, no entanto, pode ser consumida diariamente após os treinos sem problemas. Uma unidade contém 77 calorias, 5,5 g de gordura na gema e 7g de proteína na clara.

Quanto ingerir no pós-treino?

Um omelete de 3 claras e queijo branco, por exemplo, representa uma porção suficiente que ajuda bastante na ingestão de proteína para o ganho de massa magra.

O ideal é consumi-lo sempre acompanhado de um carboidrato?

Para quem busca performance e aumento de massa magra, o carboidrato associado é fundamental. Bons exemplos são o pão integral, a tapioca e a batata doce.

Para ganho de massa, é a melhor opção de alimento proteico?

É uma boa opção. Podemos citar também o leite, iogurte, queijos e as carnes magras.

O consumo da gema não é aconselhado?

A gema é rica apenas em gordura, e a clara, em proteína. Caso a pessoa esteja com problema de colesterol alterado ou tenha histórico de hipercolesterolemia familiar (índice de colesterol alto de origem familiar), o indicado é reduzir o consumo da gema.