compartilhe

0

Nutrição

Como usar géis de carboidrato em provas longas                                  

Nutricionista dá dicas para você aproveitar melhor os géis em corridas de longas distâncias

Redação WRunPor
Redação WRun

Géis de carboidrato da Probiotica

Se você corre há algum tempo, é muito provável que você use ou já tenha usado os géis de carboidrato durante uma prova ou treino longo. Práticos e convenientes, os géis são uma companhia comum dos corredores, já que são uma das melhores alternativas para repor nutrientes rapidamente durante atividades físicas.

Cosan SP City Marathon acontece no dia 28 de julho 
com percursos de 21K e 42K

Conversamos com a nutricionista Ciça Carvalho, que é triatleta há 10 anos e seis vezes finisher do Ironman Kona – ela tem o  melhor tempo de uma amadora brasileira em Ironman – para saber como os géis de carboidrato podem auxiliar sua performance durante provas longas, especialmente meias-maratonas e maratonas. Confira:

Como consumir géis em corridas longas

1) Em provas de corrida de 21 km e 42 km, de quanto em quanto tempo o corredor deve consumir os géis?

A orientação durante a corrida é que se consuma de 30 a 60g de carboidrato por hora, o que em géis seria o equivalente a 1.5 até 3 unidades. Entretanto, é comum o consumo de isotônicos associados aos géis durante as corridas, o que reduz a quantidade necessária de géis por hora.

A frequência do consumo do gel depende de vários fatores individuais, como intensidade do exercício, duração da prova, capacidade do atleta se alimentar antes da competição e sua tolerância ao gel.

De maneira geral, o intervalo indicado mais comum seria consumir um sachê a cada 40-45 min para os 21K e a cada 30-40 minutos para os 42K.

 

 2) Qual é a função dos géis no organismo?

Os carboidratos representam o melhor substrato energético para atividades de longa duração, ou seja, são o combustível principal para fornecer energia rápida aos músculos e órgãos quando nos exercitamos.

Os géis são compostos quase que exclusivamente por carboidratos associados a eletrólitos, têm rápida absorção e representam uma alternativa prática e eficaz na reposição e na manutenção do glicogênio durante uma competição.

 

3) Por que algumas pessoas sentem desconforto gástrico com os géis?

Geralmente o desconforto gástrico está associado à falta do hábito de consumir géis nos treinamentos, ou pela quantidade exagerada do consumo dos mesmos. Geralmente, atletas amadores correm distâncias menores, e consequentemente necessitam de uma quantidade menor de reposição energética. Quando estes atletas se propõem a correr distâncias maiores, sua reposição energética também tem que ser maior, o que pode ocasionar desconforto gástrico, que em casos extremos pode levar a diarreia e vômitos.

 

4) Para os que sentem o desconforto gástrico, há outras alternativas para o gel de carboidrato?

A alternativa para diminuir o consumo do gel é buscar outras formas de carboidratos práticos, como as gomas, os isotônicos e carboidratos líquidos (ou em pó). Mesmo assim, grandes quantidades concentradas de carboidrato podem causar desconforto.

A melhor opção é sempre o “treinamento nutricional”, ou seja, um “treinamento intestinal” para melhorar a tolerância. Para fazer isso, o atleta pode ir consumindo géis ou outras formas de carboidratos durante seus treinamentos, da mesma forma que pretende utilizar nas competições. Assim, quando chegar o momento da prova, o corpo já estará acostumado, diminuindo as chances do corpo estranhar.

Algumas alternativas ao uso de gel são barrinhas de rapadura, uva passa, banana desidratada, paçoca, goiabada, sachês de mel e tâmaras.