compartilhe

0

0

Saúde

Corredor sangue bom!

O que você precisa saber para doar sangue e como essa boa ação pode influenciar na sua saúde e também na sua performance na corrida

Lucas ImbimboPor
Lucas Imbimbo

Doação de sangue

A chegada do inverno é sempre preocupante para os bancos de sangue do Brasil. Nessa época do ano, o nível do estoque do líquido vermelho chega a sofrer uma queda de 30%, segundo dados da campanha Junho Vermelho, que tem como objetivo incentivar a doação sanguínea. O principal motivo dessa baixa é que, por causa do frio, as pessoas tendem a sair menos de casa para fazer coisas que não são prioridade – como doar sangue. Há também um maior número de indivíduos tomando vacinas ou sofrendo com doenças respiratórias, fatores que impossibilitam a doação.

Para se ter noção, atualmente, o nível de sangue tipo O+, A+ e A- na cidade de São Paulo está em situação considerada delicada. Visando minimizar o problema, vários movimentos – conheça alguns deles no fim da reportagem – tentam aumentar o número de doadores no país, que é baixo. De acordo com a Fundação Pró-Sangue, apenas 1,9% dos brasileiros doam, sendo que o índice recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 3% a 5%. E há bons motivos para você praticar essa boa ação. Além de salvar vidas, isso faz bem à sua saúde. “Doar diminui a quantidade de ferro no sangue, o que ajuda no funcionamento do organismo”, explica o Paulo Olzon, clínico geral e infectologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Apesar de ser muito importante para a corpo, em excesso, o ferro aumenta o risco de doenças do coração e pode estar relacionado a problemas como cirrose hepática, alguns tipos de câncer e até Alzheimer.

OS CUIDADOS PARA QUEM CORRE

Doar sangue pode ajudar no seu desempenho esportivo, já que o fluxo sanguíneo no organismo tende a melhorar – desse modo, mais oxigênio e nutrientes chegarão aos seus músculos. No entanto, você precisa ficar atento a um detalhe. Caso esteja perto de participar de uma competição importante, deixe para doar sangue uma ou duas semanas depois da corrida. Motivo: logo após você fazer a doação, obviamente, há menos sangue no corpo. Isso pode atrapalhar a performance e a recuperação muscular. “O coração precisa trabalhar mais para oxigenar todo o organismo”, explica Paulo Camiz, clínico geral e professor da Faculdade de Medicina do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Mas não se preocupe, pois é algo que dura poucos dias. O tempo médio de reposição do sangue no nosso organismo é de uma ou duas semanas – podendo variar entre cada indivíduo, para mais ou para menos.

E não pense que você terá de esperar todo esse tempo para voltar a treinar. O recomendado após doar sangue é não fazer exercícios por apenas 24 horas. Ao retornar à atividade física, se não se sentir bem, pare imediatamente e procure descansar. O mesmo serve para atividades como dirigir, carregar peso etc. A hidratação também é um fator muito importante tanto antes quanto depois da doação. Isso porque, ela é fundamental para a regulação do sangue e do organismo.

MAIS
Correr é o melhor remédio
Diabetes e corrida: dicas para treinar sem problema

COMO SE TORNAR UM DOADOR 

Fazer essa boa ação é simples. Basta ir a um posto de doação, se cadastrar, realizar uma análise clínica, responder a um teste confidencial e coletar. Na checagem médica, exames como os de pressão arterial, batimentos cardíacos e de anemia são feitos para confirmar se o voluntário está apto a doar sangue. Já no teste de confidência, são feitas algumas perguntas de “sim” ou “não”, para conhecer o perfil do doador. Ele é realizado para saber se a pessoa já teve alguma doença sexualmente transmissível ou faz parte do grupo de risco de contrair essas doenças. Ao final da coleta de sangue, todos recebem um lanche para repor as energias.

Os requisitos básicos para ser doador são:

  • Estar em boas condições de saúde.
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (doadores menores de idade devem ter a autorização de um responsável).
  • Pesar no mínimo 50 kg.
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
  • Estar alimentado (evitar refeições gordurosas nas quatro horas que antecedem a doação).
  • Não ter feito tatuagem nos últimos 12 meses.
  • Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Veja no site da Fundação Pró-Sangue todos as etapas e requisitos para doar.

AÇÕES EM PROL DA DOAÇÃO DE SANGUE 

Junho Vermelho Durante este mês, a campanha iluminou diversos pontos do país de vermelho para destacar a importância da doação de sangue no inverno. Entre os monumentos que receberam as luzes vermelhas estão o Cristo Redentor (RJ), o Monumento da América Latina (SP), o Elevador Lacerda (BA) e o Jardim Botânico de Curitiba (PR).

Eu Dou o Sangue: Quem Dá o Sangue Merece ser Reconhecido Criada pela agência BETC/Havas para celebrar o Dia Mundial do Doador de Sangue (14 de junho), a campanha oferece um curativo vermelho a todos que doarem sangue. Essa é uma maneira não só de identificar quem fez a boa ação, como também trazer mais visibilidade à causa. Em São Paulo, vários monumentos ganharam o curativo para chamar a atenção da população.

*Publicada originalmente em 26 de junho de 2017.