compartilhe

0

0

Saúde

Mau hálito após a corrida: como contornar o problema

A dieta adotada pode estar diretamente relacionada ao desconforto

Juliana MesquitaPor
Juliana Mesquita

Mau hálito

Você termina de correr e já vem aquele gosto ruim na boca? Ou o pior: o problema já se manifesta durante a atividade física? Saiba que isso tem uma explicação! “A halitose está presente em atletas muito pela dieta utilizada. Dietas ricas em proteínas, jejuns prolongados, uso de termogênicos e desidratação são os causadores do problema”, garante Adriana Jettar Ciomei, especialista em Endodontia e diretora da Elleven Odontologia – Centro de Prevenção Avançada em Saúde, Estética e Bem-Estar.

A especialista destaca que muitas vezes as atletas optam por uma dieta rica em proteínas e pobre em carboidratos para eliminar gordura e ganhar massa muscular. O problema, no entanto, pode estar escondido nessa atitude. “Quando o carboidrato é eliminado da dieta, favorece a queda da glicose no sangue e o organismo passa a buscar energia alternativa na queima das gorduras. Esse processo acaba liberando resíduos conhecidos como corpos cetônicos, que são transportados pela circulação sanguínea e expelidos pelas vias aéreas, causando um odor desagradável”, explica Adriana.

Além disso, “quando nos exercitamos, nosso organismo elimina água e sais minerais. Se o exercício é intenso e a ingestão de líquidos for menor do que o suor, ocorre um quadro de desidratação e diminuição salivar, que favorece o mau hálito”, completa.

MAIS
Corredores devem ter atenção especial com a saúde bucal
Como cuidar dos seus pés antes e depois da corrida

Hábitos simples que fazem a diferença

– Invista em uma alimentação rica em fibras e alimente-se em pequenas porções de três a quatro horas. Essa atitude estimula o fluxo salivar.

-Hidrate-se bem antes, durante e após o treino.

-Tenha uma boa higiene bucal.

Mas, afinal, como deve ser a higiene bucal?

“A higiene bucal adequada consiste no uso do fio dental diariamente, que deve ser utilizado antes da escovação. Após o seu uso, vem a escova de dentes, que deve ser macia para limpar e massagear a gengiva e tecidos moles. E não podemos esquecer do limpador de língua, que retira toda a saburra (camada branco-amarelada, que se deposita no dorso da língua) causando o mau hálito. Por fim, é importante usar diariamente um enxaguante bucal, sem álcool e incolor”, ensina a odontologista.

Hora de procurar um especialista

Além de adotar todos os hábitos para evitar o mau hálito, é preciso também fazer visitas periódicas ao dentista. “Os cuidados com a saúde bucal devem ser constantes. A saúde começa pela boca, porta de entrada para o nosso organismo. Portanto, revisões de 4 em 4 meses ao dentista são necessárias para manter a saúde bucal em dia. O profissional deve ser procurado com frequência, assim ele pode orientar e conduzir uma boa higiene e saúde bucal. Muitas vezes as pessoas não percebem o mau hálito, mas ele está relacionado em 96,8% a problemas bucais, portanto a visita constante ao dentista é fator imprescindível”, pontua a especialista.