compartilhe

0

0

Saúde

Outubro rosa e todos os outros meses na luta contra o câncer de mama

Quando diagnosticada precocemente, a doença tem 95% de chance de cura. Por isso é importante fazer a prevenção o ano inteiro

Mariana Bignardi HallaPor
Mariana Bignardi Halla

outubro rosa na luta contra o câncer

Este mês é lembrado no mundo inteiro pela prevenção do câncer que mais mata as mulheres no geral: o câncer de mama. Os números de casos da doença são alarmantes. Apesar de muito prevalente, as chances de cura podem chegar a 95% se diagnosticado precocemente.

O câncer de mama surge por mutações nas células da mama, que começam a se dividir de forma rápida e descoordenada. O nódulo pode levar de 8 a 10 anos para atingir 1 cm, quando podemos palpá-lo, por isso a importância dos exames preventivos. O autoexame das mamas deve ser feito logo apos a menstruação, de preferência, mas este exame não dispensa a mamografia e ultrassom. Todas as mulheres a partir dos 40 anos de idade devem fazer mamografia anualmente.

Quando se fala em prevenção, os exames são indispensáveis, mas as atitudes na escolha do estilo de vida farão toda a diferença. O risco de desenvolver a doença depende apenas 10% da historia genética, outros 90% incidem único e exclusivamente como cada uma escolhe seu estilo de vida!

MAIS
Corrida na terceira idade: muito mais do que bem estar!
Os benefícios da corrida em curto, médio e longo prazo

A prática de atividade física regular já provou diminuir em 25% a chance de desenvolver a doença. Além de reduzir o tecido gorduroso, local de maior produção de hormônios ruins envolvidos no surgimento do câncer, o exercício também diminui a inflamação do corpo, incluindo interleucinas e a insulina, hoje, sabidamente, a grande vilã do pedaço.

Um estudo feito com mulheres sedentárias na pré-menopausa colocou metade do grupo para fazer 30 minutos de exercício moderado a vigoroso, (esteira, step ou elíptico) cinco vezes na semana, por 16 semanas. Fazendo medidas na urina das participantes, puderam mostrar que aquelas que praticaram atividade física tiveram uma maior liberação de metabólitos ruins do estrogênio (16- hidroxiestrona) comparado com o metabólito bom (2-hidroxiestrona). E este vilão esta diretamente ligado ao câncer de mama, podendo então concluir que ficaram mais protegidas da doença.

Além disso, uma dieta saudável (rica em frutas, legumes, cereais integrais e pobre em gorduras saturadas e refinados), não fumar, manter-se no peso adequado (o ganho de 20 kg ou mais pode dobrar a chance de desenvolver a doença) e, acima de tudo, ter amor pela vida, fazem parte dos grandes pilares para prevenção de câncer de mama.

*Mariana Bignardi Halla é ginecologista do Instituto de Prevenção Personalizada

**Originalmente publicada em 13 de outubro de 2015