compartilhe

0

The Finisher

Guilherme perdeu 60 kg e mudou de vida com a corrida

Após pesar mais de 155 kg, o mineiro encontrou no esporte força para vencer o sobrepeso, a pressão alta e a depressão

Lucas ImbimboPor
Lucas Imbimbo

mudou de vida com a corrida

Mudanças fazem parte da vida de todas as pessoas. E, com apenas 26 anos, o mineiro Guilherme Carvalho já passou por várias delas. A primeira não foi nada boa. Até os 18 anos, ele jogava basquete e gostava muito fazer exercícios. Aí, quando entrou na faculdade, sua rotina se transformou. Sem tempo para treinar, o administrador de empresas nascido em Uberlândia abandonou o esporte e adquiriu vários hábitos ruins. “Comecei a beber e a fumar muito. Também passei a comer descontroladamente, sem restrições”, lembra Guilherme.

É claro que isso afetou bastante sua saúde. Ele atingiu os 155 kg e sua pressão arterial ficou muito alta para alguém tão jovem. Com o sobrepeso, não foi só o corpo que sofre. A parte mental também foi abalada. “Tive depressão e minha autoestima ficou muito baixa. Não conseguia sair de casa ou me comunicar com as pessoas.”

mudou de vida com a corridaA GRANDE VIRADA

Após se formar na faculdade, Guilherme programou uma viagem para fazer pós-graduação no Canadá. A mudança de país e a expctativa de uma nova vida o estimularam a buscar uma outra mudança: a do seu corpo.

O primeiro passo foi ajustar a alimentação. Ele reduziu o consumo de carboidratos e produtos industrializados da dieta, e incluiu muita salada e carnes brancas. Mais: começou a comer de três em três horas, para conseguir controlar melhor o apetite e fazer refeições menores.

O mineiro também voltou a fazer atividades físicas, como caminhada, mas só conheceu a corrida um ano após iniciar o processo de reeducação alimentar. Ele estava andando em um parque de Vancouver quando foi desafiado por um amigo a completar 10 km. “Aceitei porque minha perda de peso tinha estagnado e eu precisava de algo para me motivar. Terminei a distância em duas horas — me arrastando — mas gostei muito!”, afirma.

MAIS
Por que não consigo perder peso com a corrida?
Use a cabeça para emagrecer

A EVOLUÇÃO NA CORRIDA

Empolgado com o novo esporte, Guilherme procurou vídeos sobre o assunto no Youtube, conversou com vários corredores e montou a própria planilha de treinos. Três meses depois, ele já estava encarando sua primeira prova de 5 km, a Run Canada at Wesbrook, com o objetivo de terminar o percurso em menos de 30 minutos.

Antes da largada, o nervosismo tomou conta do mineiro – algo comum na primeira corrida. “Lembrei da época em que disputava torneios de basquete. Deu aquele frio na barriga”. Mas tudo se saiu bem. Com um forte sprint no quilômetro final, ele conseguiu atingir sua meta. “Eu me senti um atleta. Foi como se estivesse terminando uma Olimpíada.”

Depois da primeira medalha conquistada, Guilherme não parou mais. Os 5 km e os 10 km ficaram rapidamente para trás e logo veio o desejo de completar a meia maratona. Para isso, ele precisou focar ainda mais na dieta e nos treinos. 

mudou de vida com a corrida

Mesmo muito nervoso, Guilherme alcançou seu objetivo na primeira prova de 5K

A ESTREIA NOS 21K

Duas semanas antes da prova, um imprevisto: o administrador de empresas sofreu uma lesão na panturrilha. “Tive medo de perder o condicionamento e fiquei triste pra caramba.” Ele fez várias sessões de fisioterapia e, mesmo não estando estando 100% recuperado, decidiu correr a meia maratona. Resultado: completou a distância em 2h19min. “Foi uma experiência única. A corrida me trouxe essa alegria de poder me superar a cada dia.”

Agora, o mineiro planeja voos mais altos. Ele vai buscar a orientação de um educador físico para correr pelo menos duas maratonas em 2018. Além disso, sonha um dia disputar o Ironman — prova de triathlon com 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,195 km de corrida).

Após ter perdido mais de 60 kg, Guilherme quer inspirar outras pessoas a mudarem de vida e faz questão de destacar o poder da atividade física para isso. “A corrida foi fundamental para eu me tornar o que sou hoje. Ela me ajudou a superar a ansiedade, a ter disciplina e organização. É meu momento de meditação e reflexão.”