compartilhe

0

0

The Finisher

Entrevista: Tatyana Mcfadden, 17 vezes campeã paralímpica

Nascida na Rússia, a atleta paralímpica se tornou uma das maiores vencedoras dos Estados Unidos

Lucas ImbimboPor
Lucas Imbimbo

Tatyana Mcfadden

Tatyana Mcfadden nasceu em 1989, na Rússia. Diagnosticada com Espinha Bífida, um problema congênito que impede os movimentos da cintura para baixo devido a uma má formação na espinha, ela teve que aprender a depender apenas dos braços para se locomover. “Minha mãe biológica não tinha dinheiro. Naquela época era muito difícil lidar com uma pessoa com deficiência. Então ela me pôs em um orfanato”, conta.

Em 1994, Deborah McFadden, que naquela época era comissária do departamento de saúde americano para pessoas com deficiência, encontrou Tatyana durante uma viagem a São Petersburgo e a adotou. Desde o seu começo de vida nos Estados Unidos, Tatyana já tinha um grande envolvimento com o esporte. “Meus pais adotivos são ótimos! Eles sempre me incentivaram a praticar esportes”. No começo, Tatyana praticava diversas atividades: natação, basquete, hockey etc. Mas uma modalidade em específico ganhou seu coração: a corrida. “Sempre foi a minha preferida.”

Sua primeira corrida foi na época de escola, competindo com crianças de sua idade. A partir deste momento, o treino começou a ficar mais sério. Em 2004, aos 15 anos, Tatyana Mcfadden estreou em sua primeira competição profissional – a Paraolimpíadas de Atenas. “Foi aí que eu percebi que queria levar o esporte para o lado profissional”, diz.

Tatyana Mcfadden

Deste momento em diante, Tatyana começou a colecionar títulos e vitórias. Ela ganhou duas medalhas em Atenas (Prata – 100 m; Bronze – 200m), quatro em Pequim 2008 (Prata – 200 m, 400 m, 800 m; Bronze – 4 x 100 m) e mais quatro em Londres 2012 (Ouro – 400 m, 800 m, 1500 m; Bronze – 100 m). Um ano depois, em 2013, a americana participou do campeonato mundial de atletismo e se tornou a primeira atleta a ganhar seis medalhas de ouro em um mesmo evento.

Em 2016 foi a vez do Rio de Janeiro receber Tatyana. Ela ganhou quatro medalhas de ouro (400 m, 800 m, 1500 m e 5000 m) e duas de prata (100 m e 42K), levando seu total de medalhas em uma paralimpíada para 17. “Minha experiência foi ótima. Me ajudou a entender a estrutura de uma paralimpíada, seus valores, o povo… Foi a minha primeira vez no Brasil”, diz. Graças a esse evento, Tatyana ganhou diversos prêmios, incluindo a de melhor atleta feminina da Paralimpíadas do Rio pelo comitê olímpico dos Estados Unidos.

MAIS
Uma maratona feita com o coração
17 nutrientes essenciais para quem corre

A última prova de Tatyana foi a Maratona de Londres, no dia 22 de abril. Ela chegou em segundo. “Foi uma ótima prova, com uma vibração muito sistemática e tática. Também existem vários tipos diferentes de atletas competindo… Então foi legal”, conclui. Essa é a quarta vez seguida que ela vence a prova.

O desafio de mobilidade ilimitada

Tatyana Mcfadden é embaixadora do Mobility Unlimited Challenge, um desafio que tem o objetivo de estimular desenvolvedores a criar soluções de mobilidade para ajudar pessoas com paralisia nos membros inferiores. Essas soluções incluem inovações tecnológicas, inteligências artificiais, exoesqueletos e design de produtos.

“Nós estamos encorajando as pessoas de todo o mundo que sofrem de paralisia a dizer o que elas desejam que seja inventado através da #MyMobilityUnlimited. Nós já tivemos ótimas sugestões, como cadeira de rodas modulares ou exoesqueletos mais baratos”, afirma Tatyana.

Esse projeto é uma parceria da Toyota Mobility Foundation com a Nesta’s Challenge Prize Centre. A premiação para a melhor solução apresentada soma aproximadamente US$ 4 milhões. Os vencedores serão revelados nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020.

O desafio começou em novembro do ano passado e continua até agosto deste ano. Confira um vídeo a respeito do Mobility Unlimited Challenge. As legendas em português estão disponíveis nas configurações do vídeo.