compartilhe

0

0

Treino

Faça provas menores para se preparar bem para uma corrida longa

Competições mais curtas ajudam a manter a motivação em alta durante o treinamento e a ter parâmetros para alcançar seu grande objetivo

Lucas ImbimboPor
Lucas Imbimbo

provas menores ajudam em corridas longas

Corredores são fanáticos por medalhas. Por isso, para muitos, a ideia de passar três ou quatro meses apenas treinando para uma prova longa, sem participar de uma corridinha no final de semana, parece tortura. Mas não precisa ser assim. Disputar competições menores durante a preparação para uma meia ou uma maratona, por exemplo, pode contribuir bastante para sua performance.

 O ganho de motivação certamente é uma das grandes vantagens de fazer provas menores no período de preparação para uma competição maior, já que muitas pessoas acabam desanimando se ficarem um longo período apenas treinando. “Além de quebrar a rotina, participar de uma corrida permite ao atleta perceber sua evolução, ver que os treinos estão dando resultado. Isso é importante para manter o foco”, afirma Marcelo Baltazar, treinador da MB Assessoria Esportiva, em São Paulo. A performance na competição menor ainda traz parâmetros para você fazer ajustes no treinamento e nos objetivos para sua prova alvo.

Encarar uma prova como treino também contribui para você aprender a lidar melhor com a ansiedade, algo comum antes de qualquer corrida. Além disso, é uma ótima oportunidade para testar roupas, tênis, logística e estratégias de ritmo, alimentação e hidratação que usará em sua competição principal.

Como encaixar na planilha

As provas menores podem ser utilizadas tanto para trabalhar o volume quanto a intensidade de treino. Vamos supor que seu objetivo é uma meia maratona. Você pode fazer, por exemplo, uma competição de 16 km como um longão, em ritmo moderado. Ou encarar uma corrida de 10K em um pace igual ou até um pouco mais forte do que o planejado para os 21 km, para testar seu condicionamento. “A intensidade da ‘prova treino’ vai depender do tempo que falta para a corrida alvo e dos micro e macrociclos de treinamento”, explica Baltazar. Ou seja, se você estiver em uma semana de choque (treinos intensos), pode correr forte. Já se estiver em uma semana de base (treinos volumosos), o recomendado é pegar um pouco mais leve.

Apesar das “provas treinos” serem vantajosas, você não deve participar de muitas competições durante o treinamento para uma corrida. “O ideal é dar um intervalo de pelos menos 45 dias entre um evento e outro”, orienta Baltazar. Isso porque, as competições sempre acabam exigindo um pouco mais do corpo e requerem um período de recuperação maior do que um treino comum.

*Originalmente publicado em 26 de maio de 2017